Futemachos – um pouco sobre os machões do futebol com Juca Kfouri

Por fernandogrosteinandrade

Prazer, eu sou o Fernando. Sou cineasta e de uns tempos para comecei sentir que a revolução do audiovisual cada vez mais vai deixar o ato de fazer um audiovisual algo tão trivial quando fazer um texto. E fazer um texto para embalar o filme acaba sendo necessário para fazer a mensagem chegar melhor e com mais eficiência ao espectador.

Com o crescimento das novas plataformas, decidi há algumas semanas fazer um canal no youtube. Agora este canal ganha uma plataforma que é este blog na Folha.

Há alguns anos fiz um documentário na Folha de S. Paulo sobre o novo – agora antigo – projeto editorial e reforma gráfica. Eu, que sou apaixonado por jornalismo, me apaixonei mais ainda por este jornal, seus personagens, sua diversidade e frescor. Muito honrado estou aqui de fazer parte desta história. A idéia portanto é fazer uma experimentação: seja minha enquanto cineasta e até do jornal, ao misturar as linguagens de blog, com vlog, com youtube e sabe-se la mais o que.

No primeiro episódio do meu canal / post , vamos falar sobre os futemachos, os machões do futebol. Convidei meu Tio, também colunista da Folha, Juca Kfouri. A idéia foi discutir a lgbtfobia e machismo no futebol. No final, não conseguimos aprofundar tudo o que o assunto merecia, mas demos um passo. E sem querer saiu um perfil diferente do Juca.

Para quem quiser saber mais sobre mim, segue o primeiro filme que eu fiz me apresentando

e aqui o segundo, em que discuto um pouco do que penso sobre cinema e a expressão audiovisual


——

Vamos sentir juntos como sai essa experiência, eu, vocês leitores e o jornal, e sentir onde isso pode nos levar.  A idéia aqui é experimentar novas interações entre as diversas plataformas e buscar a inovação na hora de contar e sentir histórias.

Obrigado pela atenção,  beijos do Fernando